minha lista de desejos

Bem vindo ao site Sergio Rodrigues.

Arquiteto e Designer Brasileiro

Sergio Rodrigues é esta figura iluminada de personalidade marcante, que soube transformar suas inquietações numa obra coerente e reveladora da cultura brasileira. Sergio é, sem dúvida alguma, uma das mais admiráveis expressões do design em nosso país. O traço coerente e único inscreveu seu nome na história do design do século 20, sobretudo pela criação de uma grande variedade de produtos, dos quais o mais famoso é a Poltrona Mole.

Ao lado de mestres como Joaquim Tenreiro e José Zanine Caldas, Sergio vem tornando o design brasileiro conhecido internacionalmente. Enquanto Tenreiro, com seus móveis sóbrios, foi o precursor na busca de um novo estilo, Zanine arrancou da madeira todo seu potencial expressivo e Sergio Rodrigues desenvolveu uma ampla experiência de produção, procurando pensar o Brasil pelo design. Ele transformou totalmente a linguagem do móvel, foi generoso no traço e no emprego das madeiras nativas e, como bem afirmou Lucio Costa, “com a criação da Oca integrou a ambientação de interior no movimento de renovação de nossa arquitetura.”

Textos extraídos do livro Sergio Rodrigues da Maria Cecília Loschiavo

Depoimentos

Foi em 61, creio eu, a consagração Internacional da Poltrona Mole. Conhecendo o longo trabalho de criação e confecção da peça (cotação máxima da nossa arquitetura mobiliária), sempre me referia a ela, falando ou escrevendo, como A Poltrona Que Não Foi Mole. Nos livros Internacionais de crítica especializada é chamada de Sheriff ( não parece tradução de filme de televisão?). Vou me lembrando de Sergio e suas circunstâncias, e escrevendo ao correr da pena ( ao polsar do chip). Mas não lembro tudo nem escrevo tudo. Que sei eu de arquitetura? Bem,vai ver,tudo. Sei de morar, sei de dormir, sei…

Millôr Fernandes

” O criador do móvel moderno no Brasil “.

Enciclopédia Delta Larrousse.

“um dos 30 assentos mais importantes dos últimos 100 anos”. Arquiteto e crítico americano de arquitetura e design

Clement Meadmore

1985: “ um dos principais designers latino americano.” Crítica americana

Míriam Stimpson

– 1991: ” Sergio Rodrigues com a criação da OCA integrou a ambientação de interior no movimento de renovação de nossa architetura”. “ Generoso, em vez de refestelar-se em sua poltrona fabulosa, continua ativo, não para.” Arquiteto e urbanista

Lúcio Costa

– 1997: “Há 40 anos, com a criação da Poltrona “Mole”, de autoria do arquiteto Sergio Rodrigues, ocorreu uma das primeiras manifestações de rompimento com a escola Bauhausiana. A proposta elaborada em 1957 se opôs ao radicalismo dos valores do racionalismo e antecedeu ao processo crítico do modernismo que daria origem à condição pós-moderna.” Arquiteto

Paulo Casé

– 1995: ” É o arquiteto, o ” fazedor de móveis “, o misto de artesão e designer que revolucionou o móvel brasileiro.” “Sergio Rodrigues é um homem de vanguarda, cuja produção em meados dos anos 50 antecipou as principais propostas do nacionalismo do móvel. De fato neste momento ele fez coexistir o Brasil – brasileiro com o Brasil – de Ipanema, cantado mais tarde (62) por Tom e Vinícius na célebre “Garota de Ipanema”. A aproximação do desenho do móvel moderno com certos objetos da cultura brasileira, e a não preocupação com modismos, acentuam o espírito de brasilidade que…

Maria Cecília Loschiavo dos Santos

Citado no livro Livro

“O Móvel Moderno Brasileiro”

– 1997: “… Ah, a Poltrona Mole! Quem nunca se sentou numa não sabe o que é…; perdão, na poltrona Mole não se senta, refestela-se, repimpa-se, repoltreia-se. É um regaço de jacarandá, tiras de couro e almofadas, que entrou para a história do mobiliário brasileiro na mesma época, e com a mais força expressiva, da Bossa Nova. Como também fez sucesso no exterior, com o nome de Sheriff Chair, as comparações com “Garota de Ipanema” e Brasília não puderam ser evitadas. Um dos emblemas do fastígio cultural que o Brasil viveu nos anos JK –quando vencemos duas copas do Mundo…

Sergio Augusto

– 1997: “A poltrona “Mole” de Sergio Rodrigues foi o primeiro objeto de arte irredutível Brasileiro. Pois o móvel barroco ou D. João V era colonizador. E os sofás de jacarandá da civilização do açúcar, criações de marceneiros franceses ou alemães, como Bèranger e Spiller. A cadeira que Sérgio criou, além disso, é uma síntese admirável do espírito brasileiro. A harmoniosa estrutura dos torneados de jacarandá; as almofadas que lembram a imaginação criativa da civilização do couro, tão bem descrita por Capistrano de Abreu; o dengo e a moleza libertina da senzala; a preguiça e o aconchego macio da casa-grande…

Odilon Ribeiro Coutinho

–“This chair has a rigid wooden frame, supporting a basket of loose interlaced hanging straps. These in turn support a single cushion element, seamed into seat, back and arm pads, which drapes over the frame allowing the body to hang, as it were, in an upholstered hammock-like basket. The low sturdy frameia made of polished teak; the leather straps are pegged into it, and can be adjusted to alter the tension of the menbrane. Great freedom of movement is allowed for is this design. The Sheriff is perhaps derived from the notoriously uncomfortable family of sling chairs, but in this…

Clement Meadmore

Destaques

“Uma casca, uma capa, um caracol, uma casa.
O desenrolar de uma concha. Todos os anéis de uma vida.
Apresentar a obra de Sergio Rodrigues é trazer impressa, em cada peça, o
seu paddado, a sua bagagem, o seu contexto. Cada móvel carrega em suas
veias, seus veios, o ranger das madeiras do cais, o cheiro da maresia,
o sal de lágrimas, o som das gargalhadas, o sotaque português,
a face imberbe dos nativos, o suor brilhante dos escravos.”

Veronica Rodrigues

Licenciados:http://www.linbrasil.com.br/ http://fernandomendesdesigner.com.br/

Rua Conde Irajá 63 - Botafogo - Rio de Janeiro - Brasil (55 21) 2539-0393 • 2537-3001

Copyright © 2015 Sergio Rodrigues. Website designed & developed: Gaia Rodrigues